Agora vamos proceder à nossa FOFA, com toda a sinceridade possível. Às vezes, isso pode não ser fácil, porque este é um exame de autoconhecimento bem aplicado à realidade atual, que pode ser complicada. Mas tem que ser bem feito, pois daí tiraremos as decisões concretas com que lidaremos e tentaremos operacionalizar em nossa trilha para o sucesso e realização. 

No entanto, deixei nesta publicação espaço apenas para os três fatores que você achar principais e mais significativos, em cada campo, mas você pode anotar mais alguns, se quiser. Não exagere, pois aí o planejamento pode ficar muito complexo e difícil de implementar… Vamos lá, então, tentando nos ver claramente dentro do contexto que estamos projetando:

 Fatores Internos, inerentes a mim mesmo:

Fortalezas (a serem reforçadas/fortalecidas):

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Fraquezas (a serem eliminadas):

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Fatores Externos, que podem nos impactar a partir do ambiente “externo” (o nosso entorno):

Oportunidades (a serem aproveitadas):

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Ameaças (a serem contornadas):

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Gostaria então de exemplificar tudo isto, utilizando a figura de um jovem que acabou de terminar seu curso técnico e que já está trabalhando em um bom emprego. Mas ele gostaria de continuar seus estudos e tornar-se um engenheiro. Então, ele reconheceu como fortaleza a intensa vontade de progredir na carreira; como fraqueza, sua formação em matemática, que sentia ser deficiente; como oportunidade, a possibilidade de retornar como docente para uma escola na qual lecionava, antes de sua formatura como técnico; e como ameaça, naturalmente, a falta do $$ necessário para manter-se dignamente e casar-se, pois já estava noivo…

Então, baseado na sua fortaleza, resolveu diminuir sua fraqueza estudando matemática, fora de todas as suas atividades, por si mesmo, então adquirindo o mínimo de habilidades na área que necessitava para o curso de engenharia; aproveitou a oportunidade e, abandonando seu bom emprego, voltou a lecionar; e, finalmente, controlando bem suas finanças, ajustou a ameaça para que ela não fosse significativamente ruim. E tudo deu certo!

Nesse exemplo, que é real, obrigado por permitir-me compartilhar com você, cara leitora, caro leitor, um pouco de minha vida profissional, pois o estudante citado era eu… 

Até semana que vem!

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.