É um fato comumente conhecido que a insuficiência cardíaca é a causa número um de morte no mundo desenvolvido. Embora os cientistas tenham avançado vários procedimentos no transplante cardíaco, a situação dos pacientes necessitados permanece menos do que favorável por dois motivos: a descoberta de um doador adequado é difícil e a aceitação do corpo dessa entidade estrangeira não é isenta de rejeição fatal do sistema imunológico.

Na semana passada, uma equipe do cientista liderado pelo Dr. Tal Dvir, da Faculdade de Ciências da Vida da Universidade de Tel Aviv, publicou descobertas que podem ser os primeiros sinais de mudança no jogo para as regras do transplante cardíaco. A equipe imprimiu com sucesso um modelo de coração em 3d usando matéria celular de uma fonte humana.

Embora os corações sintéticos tenham sido produzidos no passado – desde os modelos robóticos crus a renderizações 3d muito mais avançadas – como afirma Dvir : “Esta é a primeira vez que alguém em qualquer lugar conseguiu projetar e imprimir um coração completo com células e vasos sanguíneos”,

Embora seja verdade que os cientistas conseguiram imprimir em 3D a arquitetura do coração, que incluiu a cartilagem e o tecido da válvula aortal, nenhuma equipe de pesquisa até agora gerou efetivamente o sistema vascular poroso através do qual os vasos sanguíneos realizam seus negócios e sem qual um órgão necessariamente perecerá.

Embora a conquista da equipe seja notável nesse aspecto, Dvir afirma que é apenas o primeiro avanço entre muitos que serão necessários para um órgão verdadeiramente operável: “Precisamos desenvolver ainda mais o coração impresso”, disse Dvir.

“As células precisam formar uma capacidade de bombeamento; eles podem contratar atualmente, mas precisamos que eles trabalhem juntos. Nossa esperança é que tenhamos sucesso e provemos a eficácia e utilidade do nosso método. ”

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.