Bem legal a “Teoria das Necessidades de Maslow”, não? (Engenharia em Pauta no. 165). Se pararmos um pouco e refletirmos sobre ela, veremos que de fato esta teoria orientou muitas vezes nossa vida e nossa carreira profissional… E é também um ótimo guia para liderar de modo eficaz! Mas vamos ao nosso assunto: onde estão os possíveis intraempreendedores? Como identificá-los, mesmo que de modo aproximado?

Podemos, para começo desta discussão, pensar no “foco motivacional” de cada um de nós. Ou seja, por diversos motivos, dos quais podemos considerar nosso tipo de criação, meio no qual fomos criados, características pessoais, sistema educacional no qual nos formamos, etc., desenvolvemos características que definem aproximadamente qual o conjunto de necessidades para o qual damos prioridade, ou mesmo sentimo-nos mais confortáveis.

Destes conjuntos, destacam-se principalmente dois: os “Buscadores de Higiene” e os “Buscadores de Motivação”. Os Buscadores de Higiene focam mais sua atuação pessoal e profissional no atendimento das necessidades ligadas aos três primeiros níveis da escala de Maslow: necessidades fisiológicas, segurança e relacionamento. Por exemplo, prezam mais o ambiente e condições de trabalho, estabilidade, etc.; já os Buscadores de Motivação focam mais no atendimento das necessidades dos níveis superiores da escala de Maslow: relacionamento, estima e realização pessoal, embora evidentemente não desprezem ou ignorem os três primeiros níveis.

Os Buscadores de Higiene são importantes no ambiente de trabalho, e nele têm seu lugar garantido, talvez no âmbito de tarefas mais rotineiras. Mas vamos nos focar  nas características dos Buscadores de Motivação, pois aí é que  costumam estar os intraempreendedores. São elas, em visão geral: dão grande ênfase na natureza da tarefa que estão realizando; são muito comprometidos com os objetivos da profissão ou instituição na qual trabalham; são mais tolerantes com eventuais carências dos fatores de higiene (os três primeiros da escala); apresentam grande satisfação na realização do trabalho, dele obtendo genuíno prazer; aprendem rapidamente, pessoal e profissionalmente, com as experiências vividas no trabalho; são positivos e otimistas em relação à vida e carreira; e têm sinceros sistemas de crença, sendo firmes em suas posições…

E aí fica uma pergunta, para sua reflexão: na sua empresa, você contrataria um Buscador de Higiene ou um Buscador de Motivação? Até a próxima…

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Compartilhe:
Publicação anteriorModelo de ensino alternativo melhora o aprendizado
Próxima publicaçãoA Samsung vai lançar Smartphone dobrável
É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.