Que pergunta, hein? Que coisa estranha! Afinal, parece que são estes os únicos caminhos possíveis, as únicas possibilidades de ocupação e trabalho… As próprias instituições de ensino, com sua metodologia baseada na “Era Industrial”, nos encaminham para isto.  Mas a pergunta tem cabimento, pois sempre que pesquisei este assunto com alunos entrantes em cursos de engenharia, mais ou menos 70% deles afirmam que querem empreender suas próprias vidas, com seu próprio negócio…

E o que seria empreender? Muitas definições já foram desenvolvidas, todas elas colocando de modo preciso diversos aspectos referentes ao ato de empreender. Mas, no nosso caso, prefiro me prender a duas delas, bem abrangentes e de uma realidade cristalina. São elas:

1 – de Fernando Dolabela (1): “O Empreendedor é alguém que sonha e busca transformar o seu sonho em realidade”. 

2 – de Eduardo Bom Angelo (2): “Empreender – uma percepção que se torna ideia, que se transforma em inovação, que se coloca em prática, que gera valor”. 

Vamos pensar um pouco sobre elas? São muito importantes para nossa vida pessoal e profissional.

Na primeira definição, vejo duas palavras que representam dois conceitos muito importantes: sonho e transformação deste sonho em realidade. Quem não sonha em algo para a sua própria vida? Em ter um bom automóvel, em fazer a viagem dos sonhos, em casar-se, em ser seu próprio patrão, e assim por diante… E aqui é preciso ter cuidado, pois muitos sonhos podem ter-nos sido impostos pela mídia, estruturas familiares e sociais, etc. – estes não valem para a utilização correta da definição… Os que valem são aqueles que fazem nossos olhos brilharem, que agitam nosso coração, são aqueles nos quais não paramos de pensar, são aqueles que sempre estamos tentando compartilhar com os nossos próximos. Estes valem a pena, e por isto são chamados “sonhos estruturantes”, e que poderão ser a base de nossa felicidade e sucesso.

Pare um pouco e pense: quais são os seus “sonhos estruturantes”? Cultive esse pensamento… Compare sua vida atual com eles, e aí você vai entender porque a definição é básica para o atingimento do sucesso e felicidade.

Pois é: se o seu sonho estruturante realmente for bem reconhecido, ele vai gerar em você uma “energia interior”, uma intensa capacidade de lutar para realizá-lo, contra todos os obstáculos. E eles poderão ser muitos… Não importa! Você irá em frente e vai conseguir, mais cedo ou mais tarde…

E se no caminho da realização você errar, e é quase certo de que isto acontecerá, nenhum problema: aprenda com os erros e vá em frente! Isto é comum e benéfico… Mas não abandone o sonho! Modifique-o, customize-o, modernize-o, enfim, não deixe de sonhar e tentar sua realização!

Referências:

  • DOLABELA, FERNANDO. Oficina do Empreendedor. São Paulo: Cultura Editores Associados, 2003.275 p.
  • EDUARDO BOM ANGELO – Diretor Presidente da Brasilprev – Professor de Empreendedorismo do IBMEC (SP) in Endeavour – Empreendedorismo Corporativo – palestra – julho/2004

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários. 

Compartilhe:
Publicação anteriorMars: uma série que todo engenheiro deveria assistir
Próxima publicaçãoPoderá faltar verba para pesquisa e usinas nucleares em 2018

É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.