Mais um pouquinho de informação sobre as “entradas” do “funil” da Open Innovation…

Na sugestão de ideias novas e inovadoras, muitos processos existem: desde um bem conduzido “brainstorming”, até simples reuniões em cafeterias (mesmo bares…), na instituição ou mesmo fora delas – aliás, este processo é bem usado… O importante é as pessoas “pensarem inovação”…

Outras “entradas” estão sendo cada vez mais utilizadas. Por exemplo: todos nós já sabemos de empreendimentos criativos, alguns inclusive bem pequenos, que estão sendo adquiridos por grandes empresas, tais como Apple, Microsoft e mesmo outras de menor porte. É que a inovação tem pressa, e quem tiver uma boa idéia – está feito!

Isto nos leva a outra técnica que está se se popularizando cada vez mais: a “co-criação” (co-creation)… Aqui, lança-se inclusive mão da inteligência coletiva, ou seja, através da internet lançam-se vários desafios, com problemas reais das empresas ou ideias para o futuro, como prêmios, remuneração, participação em lucros, etc., para todos os que quiserem participar. Sites com esta finalidade já existem em vários países, reconhecidamente inovadores…

mario augusto

E existem outros sites de busca de ideias, até os específicos de grandes empresas… Um bom exemplo desta afirmativa foi a criação do carro conceito “Fiat Mio”, que foi desenvolvido juntamente com os consumidores, e apresentado no Salão do Automóvel, em 2010, como protótipo FCC III. Em portal específico, qualquer pessoa pôde contribuir para a idealização do carro conceito em diferentes questões, como propulsão, segurança, design, materiais, etc. Mais ou menos 15.000 internautas participaram, e então podem imaginar quantas ideias boas e inéditas foram dadas…

E mais um exemplo: dê uma olhada em xprize.org. Como eles mesmos se intitulam, constituem uma “Máquina de Inovação”, para através de competições abertas, serem catalisadores de benefícios para toda a sociedade…

É o mundo todo inovando!

Imagem de Shutterstock 

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

 

Compartilhe:
Publicação anteriorPokémons poderão ser capturados no mundo real já em 2016
Próxima publicaçãoConheça a fascinante rodovia sobre o mar da Noruega
É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.